Notícias

Amígdalas: quando é necessário removê-las? (Outra Medicina - 16/07/2013)

As amígdalas são estruturas localizadas perto da garganta e que desempenham um papel importante na defesa e imunidade do organismo, especialmente durante a infância e adolescência. Sua principal função é combater os agentes infecciosos que entram no corpo através da respiração.

“Quando vírus e bactérias são inalados, as amígdalas iniciam a produção de anticorpos para defender o organismo”, explica a otorrinolaringologista Silvana Bellotto, do Hospital e Maternidade Assunção. No entanto, esta contribuição para o sistema imunológico é pequena e, com o chegar da idade adulta, torna-se inexpressiva.

Por conta disso, até algumas décadas atrás, era muito comum que, ao identificar uma inflamação neste órgão, o médico optasse por removê-lo através de cirurgia. Porém, hoje em dia, o procedimento não é mais tão recorrente, e os especialistas preferem tratar o problema com medicamentos.

Inflamação nas amígdalas Quando são atingidas por uma quantidade grande de vírus e bactérias, as amígdalas aumentam de tamanho e ficam infeccionadas, causando a amigdalite. Outras doenças comuns no órgão incluem infecções virais ou bacterianas, mal estar e halitose. “Quando as amígdalas estão inflamadas, geralmente causam febre e dificuldades para comer”, avisa Dra. Silvana. O quadro é mais comum em crianças de dois a 10 anos.

Tratamento A doença pode ser tratada com anti-inflamatórios. Nos casos de infecção bacteriana, é indicado o uso de antibioticoterapia, tratamento médico terapêutico. Analgésicos e antitérmicos são receitados para amenizar os sintomas quando há necessidade. Ter uma boa alimentação e manter-se hidratado também são recomendações importantes para melhorar o quadro, que está muito ligado à baixa imunidade. Cirurgia das amígdalas Segundo a especialista, a cirurgia para retirada das amígdalas só é indicada, hoje, em casos específicos, quando os prejuízos causados pelo órgão se tornam maiores do que os benefícios de mantê-lo.

Os quadros em que o procedimento pode ser necessário incluem: Pacientes que apresentam mais de sete crises de amigdalite por ano; Pacientes que sofrem de apneia obstrutiva durante o sono; Pacientes que têm convulsão febril causada pela patologia; Crescimento exagerado das amígdalas. “É possível prevenir as amigdalites. O paciente que se alimenta bem, dorme com qualidade e respira bem pelo nariz, e não pela boca, torna-se menos suscetível à infecção”, afirma Dra. Silvana.

VEJA A MATÉRIA


 

+ Ver mais notícias


© Hospital Assunção

Av. João Firmino, 250 - Assunção - São Bernardo do Campo - SP
PABX:(11) 4344-8000

Marcação de consultas: (11) 3040-9260
Pré-agendamento de exames: (11) 3040-1200

Produzido por CONNEXION NET